Rumo ao sucesso: Mulheres Empreendedoras

Você sabia que 51% dos empreendedores brasileiros hoje são do sexo feminino? O dado levantado pelo painel Global Entrepreneurship Monitor mostra que cada vez mais as mulheres estão saindo do papel de empregadas para empregadoras, em busca de liberdade profissional e maior controle sobre sua carreira e finanças.

Outra pesquisa, realizada pela Endeavor, sugere que o sucesso das mulheres tem relação direta com a alta capacidade que elas têm de trazer inovações para o setor.

“Inovação é uma das palavras-chave para definir o perfil de um empreendedor de sucesso. Quem decide montar e gerir um negócio precisa ser arrojado, correr riscos e não desistir. Quando se é empregado, existe uma estabilidade e uma tranquilidade que desaparecem quando somos os gestores máximos”, conta Reinaldo Messias, consultor do Sebrae-SP.

Ter um perfil empreendedor é o primeiro requisito para fazer o seu negócio dar certo. Veja se você tem esse perfil:
O empreendedor deve ser uma pessoa arrojada, corajosa, que arrisca, corre atrás, que não tem medo de a sua ideia não dar certo.

Se a ideia não der certo, ele tem que voltar e tentar de novo, ou seja, precisa ser persistente.
Além disso, é imprescindível ser organizado,porque um empresário passa a ter responsabilidades com prazos, valores e informações novas.

Por último e não menos importante, o empreendedor deve estar aberto às opiniões. Achar que sabe tudo é fracasso na certa! “O primeiro passo está no autoconhecimento, na reflexão sobre suas forças e fraquezas”, explica Juliano Seabra, diretor de Educação e Pesquisa da Endeavor.
Se a descrição acima está muito longe de sua personalidade, existem duas possibilidades: ou o empreendedorismo não foi feito para você ou você precisa estudar e entender melhor o ramo do negócio em que pretende entrar.

Mais até do que ter o perfil certo, o domínio do tema pode ser o melhor trampolim para adquirir segurança e coragem. Nesse caso, busque cursos técnicos na área e parcerias com pessoas mais experientes.

Juliano ainda afirma que verdadeiros empreendedores devem entender que as soluções não vêm prontas e é preciso colocar a ‘mão na massa’: “Não existe empreendedorismo sem aprendizado constante”.

A importância de ter uma estratégia financeira. Claro que um dos grandes objetivos de alguém que parte para um negócio próprio é obter lucros. Mas eles demoram e a ansiedade pode dificultar o sucesso.

Segundo Reinaldo Messias, o Sebrae tem pesquisas que mostram que 27% das empresas abertas por ano no Brasil fecham as portas em até 12 meses e um dos principais motivos é a falta de estratégia financeira e dinheiro para cobrir custos. É preciso pensar com carinho nos investimentos, antes de esperar os lucros.

A julgar por esse alerta sobre o fracasso em negócios iniciantes, contar com a obtenção de crédito junto aos bancos também pode não ser a melhor alternativa.

“Quanto mais recursos próprios você arrecadar no começo, melhor. O desembolso inicial é sempre maior, pois você ainda não tem lucros e precisa gastar com treinamento de equipe, pagamento de instalações, documentação… Isso sem falar em custos básicos, como aluguel, salário de funcionários, contas de água, luz e telefone”, diz Samy Dana, professor de finanças da Escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo.

Não existe uma regra que determine o investimento inicial para todos os negócios, mas dá para se ter uma ideia somando todos os itens relacionados a custos do orçamento, como instalações (móveis, maquinário, material etc), documentação, treinamento da equipe , água, luz, telefone, internet, aluguel, salários etc, e multiplicando por doze. Isso porque é prudente ter guardado o montante necessário para o negócio funcionar por pelo menos um ano, período em que dificilmente lucros consideráveis são esperados.

Quando o negócio começa a “caminhar” e é preciso colocar em prática tudo que foi planejado, as preocupações com a questão financeira não devem diminuir. “Fazer planilhas mensais de gastos, deixando uma margem significativa para eventuais necessidades, é fundamental”, diz Samy.

Fazer gráficos e planilhas é tornar suas necessidades visuais, acessíveis e fáceis de acompanhar no dia a dia. E lembre-se: os lucros podem demorar de quatro meses a um ano para começar a surgir; esse dado é importante para estimar seus gastos iniciais.

Os 10 primeiros passos (bem práticos) para começar a tirar sua ideia do papel e torná-la realidade até o final de 2012

Não tenha medo de aprender
Pare e pense: que tipo de conhecimento é preciso ter para abrir esse negócio que tenho em mente? Ninguém é obrigado a entender de finanças, de recursos humanos para selecionar uma equipe e das técnicas básicas de produção de um produto. Mas vai precisar aprender. Por isso, procure cursos para se especializar e faça alianças com pessoas que podem lhe ensinar ou dividir com você estas responsabilidades. Isso se chama “rede de contatos”, e quanto maior for a sua, mais chances você tem de obter sucesso.

Torne-se uma expert no seu négócio ou no seu produto
Pensar em abrir um negócio só porque ele dá dinheiro é uma roubada. Você deve entender de pão para abrir uma padaria ou saber muito sobre fragrâncias para ter uma perfumaria. Assumir que um negócio é bom apenas porque está na moda ou “em alta” no mercado é um erro. Se você tem uma ideia de negócio, precisa buscar o máximo de informações possíveis sobre técnicas, processos e metodologias e aí sim, avaliar se é um bom negócio para você.

Pense em dinheiro
Eles são necessários para fazer o seu negócio sobreviver no começo, quando os lucros ainda não estão entrando. Quanto antes começar, melhor!

Espalhe a notícia
Fale sobre a sua ideia para o maior número possível de pessoas, elas podem ser úteis em todas as etapas do processo e podem ser portadoras de uma solução extraordinária que você sequer imaginava que pudesse estar tão à mão!

Escolha sua equipe
Faça as contas e defina quantas pessoas serão necessárias em cada etapa da criação do produto. Em seguida, identifique o perfil que elas devem ter (o Google os sites de agências de empregos podem ajudar você a mapear essas qualificações). Definido o perfil e os salários, aí está na hora de buscar os profissionais no mercado de trabalho.

Procure o local adequado
Caso o seu negócio vá precisar de um espaço físico independente, você terá que se preocupar com ele especificamente. “Abrir um restaurante, por exemplo, em uma área comercial pode ser uma boa ideia. Afinal, quem trabalha precisa almoçar e jantar. Mas perceba quantos restaurantes com o mesmo tipo de comida já existem por ali e busque diferenciais para que o seu não seja só mais um”, explica Samy. Existem restrições relacionadas às leis de ocupação dos espaços das cidades que você terá que descobrir junto às prefeituras ou subprefeituras da sua cidade. Uma fábrica, por exemplo, não pode ser construída na região central de uma cidade e um bar não pode ser aberto em áreas residenciais.

Não esqueça da documentação
É também na Prefeitura e na Junta Comercial de sua cidade, que você vai conseguir os documentos e alvarás necessários para a liberação do seu negócio. “Seja em um local alugado, seja na sua própria casa você sempre vai precisar de licença para funcionar. Existem vários tipos de licença e elas dependem da estrutura prevista, do tamanho e do tipo de trabalho que será desenvolvido naquele local. Os documentos hoje podem demorar de 30 a 90 dias para sair e é importante não começar nada antes disso”, explica Reinaldo.

Aprenda a planejar
O planejamento é uma das partes mais delicadas e importantes na sua trajetória em direção ao sucesso do seu negócio. É preciso colocar tudo no papel (mesmo!), saber quanto se pretende gastar, o local escolhido, os lucros que se deseja, a equipe com quem se quer trabalha, preparar previsões, elaborar modelos de contratos e de propostas.

Analise a concorrência
“Não subestime os concorrentes. Às vezes, empreendedores estão tão apaixonados por seus produtos e serviços que se surpreendem ao descobrir que outros já possuem versões melhores”, conta Juliano. É preciso ficar de olho no que está sendo feito ao seu redor!

E conheça profundamente seus futuros clientes
É preciso entender muito bem quais são os anseios do seu público, para ir direto ao que eles desejam e transformar o seu produto ou serviço em algo necessário na vida deles.

Informe-se, informe-se, informe-se…
Além dos cursos técnicos específicos sobre o tipo de negócio ou de produto, existem empresas que oferecem workshops e cursos para ensinar você a treinar a visão empreendedora, a montar estratégias e a fazer planejamentos. A Endeavor mantém um programa de workshops entre os meses de março e novembro em seis capitais brasileiras. Aproveite que o ano está começando e se inscreva. O conteúdo também fica disponível via web, caso você já queira começar as pesquisas. O endereço do site é http://www.endeavor.com.br. O SEBRAE também possui cursos que são referência nacional em empreendedorismo, inclusive em formatos on-line. O público-alvo desses cursos são pessoas assim como você, que querem montar sua estrutura empresarial e precisam adquirir informações que vão desde como entender e lidar com os serviços financeiros dos bancos até conceitos de inovação e tecnologia. Isso tudo nos setores da economia: comércio, agronegócio, serviços e indústria. O site é: http://www.sebrae.com.br

Informações de: Portal Delas IG

Comente

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s